colete salva vidas colete salva vidas

Colete salva-vidas: qual o melhor?

6 minutos para ler

O colete salva-vidas é um item obrigatório em qualquer embarcação, independentemente do porte – e também deve ser usado durante a pescaria ou os passeios de barco. Por isso, é extremamente importante aprender a escolher o modelo certo.

De acordo com as exigências de segurança, o número de coletes salva-vidas deve ser igual ao total de pessoas a bordo e eles devem ser mantidos em um local de fácil acesso e claramente identificado.

Não sabe qual o melhor colete salva-vidas e nem como escolher esse equipamento? Veja as dicas que separamos!

Qual a importância do colete salva-vidas?

O colete salva-vidas é um equipamento de salvatagem que faz com que, ao cair na água, a pessoa flutue, evitando que ela se afogue. Salvatagem é um conjunto de técnicas que devem ser colocadas em prática durante um resgate ou para a manutenção da vida após um desastre.

Em uma embarcação, existem diversas medidas de salvatagem que devem ser tomadas – e uma delas é o uso do colete salva-vidas. Seu uso é indispensável, garantindo a segurança de todos a bordo.

Esse equipamento pode ser produzido tanto em material rígido como inflado com ar. Seu uso é obrigatório e é importante comprar um salva-vidas homologado, garantindo que ele está de acordo com as normas técnicas do setor.

Tipos

Colete salva-vidas não é tudo igual, e é importante entender as diferenças entre os tipos, para saber qual você precisa comprar. São eles:

  • Classe 1: indicado para uso em mar aberto e navegação em oceanos. Ele é produzido de acordo com as orientações e diretrizes da Convenção Internacional para Salvaguarda da Vida Humana no Mar. Serve tanto para navegação no Brasil como em águas internacionais. Os itens de segurança obrigatórios são: gola, refletivos, luz sinalizadora, alça para resgate (lift-loop), cabo liga náufrago e apito.
  • Classe 2: é usado para navegação costeira e para resgates rápidos. Os itens obrigatórios são: gola, refletivos e apito.
  • Classe 3: usado para navegação interior, ou seja, no interior de rios, lagos e beira do mar. Os itens de segurança obrigatórios são: gola e apito.
  • Classe 4: usado por quem trabalha próximo à borda de embarcações ou outros locais com risco de queda na água. Os itens de segurança variam de acordo com a situação à qual o usuário for submetido.
  • Classe 5: usado por quem pratica atividades esportivas de alta velocidade, como windsurfe, esqui aquático, jet-ski, pequenos veleiros etc. Cada atividade possui um modelo próprio.

Além desses, ainda existem os auxiliares de flutuação. Porém, é importante destacar que eles NÃO são considerados salva-vidas e não são homologados pela Marinha, sendo usados apenas por nadadores e recreação em piscinas.

Qual o melhor colete salva-vidas: dicas para escolher o ideal

O melhor colete salva-vidas é aquele que se adequa ao tipo de navegação que você irá fazer, que esteja dentro das normas da Marinha (sendo homologado) e que apresente boa fabricação e composição. Para lhe ajudar, separamos os principais pontos que você deve observar.

Tamanho

É muito importante escolher um colete salva-vidas compatível com o tamanho da pessoa que irá usá-lo. Os tamanhos dos coletes são distribuídos por faixa de peso determinadas pelo Departamento de Engenharia da Marinha do Brasil – e devem ser seguidas rigorosamente para que o produto seja certificado.

Essa é uma informação crucial e que você não pode desconsiderar. Isso porque os valores foram estipulados baseados na lógica de flutuação. Então, se você escolher um tamanho errado, o colete pode não ser tão eficiente.

Esse dado fica especificado dentro de cada colete – e o limite máximo é até 150 kg.

As faixas de peso e tamanho são:

  • PP: até 25 kg (indicado para crianças);
  • P: entre 25kg a 35 kg (também usado por crianças);
  • M: entre 35 a 55 kg;
  • G: entre 55 a 110kg;
  • GG: entre 110kg a 150 kg.

Material

Geralmente, os coletes são fabricados em nylon, porém existem versões modernas fabricadas em neoprene – uma borracha sintética e isotérmica, ideal para baixas temperaturas da água, mas que pode ser incômodo em águas quentes.

Os dois materiais são excelentes e oferecem conforto durante o uso, porém os de nylon costumam ser mais baratos. Outro material que pode ser usado é o PVC ou o PVC macio, que são opções de grande durabilidade.

Outra dica interessante é em relação às cores. As opções em amarelo e laranja costumam ser mais visíveis, reduzindo o risco de você se perder na água no caso de algum acidente, além de facilitar a visualização pelas equipes de resgate.

Ajuste

A melhor forma de definir pelo colete salva-vidas é provando o equipamento. O ajuste certo é quando ele não fica nem largo, podendo sair do corpo, e nem muito apertado, causando incômodo.

O ajuste deve ser feito fechando as fitas. O comprimento certo é quando, sentado, o colete não encosta nas coxas. Ao puxar o colete para cima ele não deve passar pelas orelhas.

Certificação da Marinha

É muito importante que você só compre coletes certificados e homologados pela Marinha do Brasil. Isso garante que o equipamento foi produzido dentro das exigências, testado e aprovado pelo órgão. Coletes não certificados podem não oferecer segurança – e você estará colocando a sua vida e a de outras pessoas em risco.

Os testes são exigidos pela Marinha e os fabricantes são obrigados a enviar cópias desses certificados aos compradores. Uma forma de conferir se o produto é homologado é acessando o site da Marinha.

Prazo de validade

Não existe nenhum prazo de validade para os coletes, mas é importante tomar cuidado com a sua manutenção. Caso o colete esteja em um mau estado de conservação ou inapropriado para o uso, ele não trará a segurança esperada e a Marinha poderá exigir a troca imediata caso sua embarcação seja fiscalizada.

Coletes salva-vidas e equipamentos de salvatagem na Moto Oeste

A Moto Oeste, além de comercializar embarcações, também conta com coletes salva-vidas e outros acessórios de salvatagem.

Por exemplo, o colete salva-vidas para caiaque Ativa Caiaque, indicado para pequenas embarcações à beira-mar ou em áreas de águas calmas e abrigadas. Indicado para remo, caiaque, canoa, pedalinho, entre outros.

Também há o colete salva-vidas esportivo. Um modelo leve, ideal para lazer, caiaques, pedalinhos, natação e vela, fabricado em nylon com espuma PAC.

Entre os equipamentos de salvatagem, destaque para o aparelho flutuante balsa salva-vidas. Com capacidade para 20 pessoas, produzido em poliuretano expandido de alta resistência e capaz de manter os tripulantes na superfície da água até a chegada do socorro. Também pode ser usado como ponto de referência para localização de acidentados.

Depois de todas essas dicas, ficou mais fácil escolher o melhor colete salva-vidas? Se você curtiu este conteúdo, inscreva-se na nossa newsletter e receba as novidades do blog direto no seu e-mail!

Posts relacionados

Deixe um comentário